Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Joana Solnado

por hitany-fx, em 24.05.08

  “Estou no Brasil como em casa”

 

Joana Solnado vai mudar de visual e já aprendeu crioulo para interpretar a são-tomense ‘Eduarda Faria’ na série ‘Equador’, que a TVI prevê estrear antes do fim do ano. As suas primeiras gravações decorrem no Brasil, revelou a actriz, que parte já no dia 4 de Julho, ali devendo permanecer dois meses. “Já lá vivi, será como estar em casa, mas vou ter saudades da família, sobretudo do meu irmãozinho”, confessa mesmo.



“No Brasil, vou estar a gravar dois meses, em Cachoeira, uma povoação no interior da Baía, e em Salvador.” E adianta: “Depois volto a Portugal para gravar a parte final da série, em Lisboa, nos meses de Setembro e Outubro.”

Sobre a sua personagem em ‘Equador’, a intérprete adianta: “A ‘Eduarda’ nasceu em São Tomé e sempre ali viveu mas fala português, a língua dos pais. Ela é empregada na farmácia do pai, ‘António Maria Faria’. De qualquer modo, ela está habituada a escutar crioulo, por isso foi importante eu aprender um pouco, para estar mais familiarizada.”

Para melhor interpretar a ‘Eduarda’, Joana Solnado recorda que precisou de “captar outras coisas, outras vivências, outros cheiros.” E considera: “São pequenos detalhes que fazem tudo por uma personagem.”

O facto de estar a gravar com o namorado, o realizador André Cerqueira, coordenador do projecto ‘Equador’, não faz com que Joana Solnado se sinta mais envolvida no trabalho. “Estou neste projecto e entrego-me da mesma forma que me entregaria a qualquer outro que aceitasse fazer. Quando aceito fazer algo é porque tenho uma envolvência muito grande com isso.”

 


[Casos da Vida] Roleta Russa

 

Cristina, inspectora da Polícia Judiciária, trabalha numa cena de um crime, um homicídio. Desempenha as suas funções com um profissionalismo rotineiro, algum cinismo e indiferença e em parceria com Tiago. Ao fim de umas horas de levantamento de provas, cansada, e já a caminho de casa, é chamada para outro homicídio. Como está de piquete, cabe-lhe tratar deste segundo caso. O que Cristina não esperava é que ao chegar ao local, perto da sua casa, a vítima fosse o seu próprio marido. Cristina mesmo em choque, investiga os dois homicídios aparentemente não relacionados, mas que acabam por estar ligados pelo uso da mesma arma, um revólver Smith & Wesson Modelo 60 de 5 tiros calibre 38 especial (ou 9x29mm), como confirmado pelos relatórios de balística do laboratório científico da Polícia Judiciária.
Procurando pistas, motivos e explicações, Cristina vai acabar por descobrir com a ajuda de Tiago e da psicóloga Márcia, que ambos os crimes foram perpetrados por jovens num macabro jogo de violência gratuita, uma versão perversa de ¿roleta russa¿ perpetrada contra cidadãos.
Cristina tem de controlar e equilibrar o seu desejo de vingança com o de justiça, e os medos constantes do procurador Dr. Miguel de por pessoas importantes e conhecidas como suspeitos de tais crimes.
No entanto, tudo parece indicar que os suspeitos, filhos de famílias ricas e com bons advogados, por um pormenor técnico processual ainda possam sair em liberdade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:00



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2008

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D